Verguia
Pedir Música Chat
Segunda, 21 de Junho de 2021 23:40
+55 69 9 8432 5660
Rondônia #Desocupação

Com a previsão da chegada de tropas da guarda Nacional; LCP desocupa fazenda em RO

A desocupação da fazenda N. Sra Aparecida de forma voluntária após conflitos, diz Sesdec-RO

25/05/2021 23h36
Por: Redação Verguia Fonte: Redação com G1 RO
@Reprodução
@Reprodução

Região da fazenda, invadida há cerca de dez meses por camponeses, vinha registrando tensão nas últimas semanas e estava previsto até o envio da Força Nacional à cidade de Chupinguaia.

Secretaria de Estado da Segurança, Defesa e Cidadania (Sesdec) informou nesta terça-feira (25) que os invasores da fazenda Nossa Senhora Aparecida, em Chupinguaia (a 659,7 km  da capital Porto Velho RO), decidiram desocupar a área de forma voluntária.

A área da fazenda, invadida há cerca de dez meses por centenas de camponeses, vinha registrando uma tensão nas últimas semanas e no fim de maio estava previsto até o envio da Força Nacional para a região. Na última semana, três homens e uma mulher foram presos suspeitos de organizar uma emboscada contra policiais.

Segundo a Sesdec, os camponeses decidiram deixar a área devido a uma ‘presença maciça e persistente da segurança pública nas imediações através do patrulhamento constante realizado pela Polícia Militar (PM)’.

Que fazenda é essa?

Fazenda Nossa Senhora Aparecida, em Chupinguaia, é uma das três fazendas que surgiram da divisão das terras da Fazenda Santa Elina, onde ocorreu o Massacre de Corumbiara.

Por esse motivo, a área seria uma espécie de símbolo da luta dos camponeses pela terra.

A área da antiga Fazenda Santa Elina foi invadida em 2020.

A entrada na área foi organizada pela Liga dos Camponeses Pobres (LCP), formada, em parte, por remanescentes do conflito da década de 1990.

Eles ocuparam uma área total de 3,4 mil hectares.

Com a invasão dos camponeses, um dos sócios da fazenda contratou um sargento da PM para fazer segurança do imóvel. Esse policial ficou responsável por recrutar outros três policiais para o trabalho, com uma diária de R$ 900.

Os demais contratados eram um frequentador de clube de tiro e um homem conhecido pela venda ilegal de armas e munições.

No último mês de março, o Ministério Público apresentou um pedido de busca e apreensão contra quatro policiais militares e outros dois homens pela suspeita de envolvimento com pistolagem (segurança privada contratada ilegalmente).

Em 29 de março, o juiz Roberto Gil de Oliveira determinou novamente a reintegração de posse na área no prazo de três meses, concedendo até 29 de junho para saída voluntária dos invasores.

Apesar do reinício da operação Paz no Campo, com envio de tropa para a localidade, havia grande resistência de contato para negociação por parte dos camponeses, inclusive com disparo de fogos de artifício contra o helicóptero da Secretaria de Segurança e bloqueio de vias de acesso.

Relatórios da PM apontavam que era praticamente

“impossível ir ao encontro de tal grupo [LCP] sem que haja extremo risco de confronto armado”.

Fonte: G1/RO

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Sobre o município
Notícias de Chupinguaia - RO
Rolim de Moura - RO
Atualizado às 00h30 - Fonte: Climatempo
24°
Poucas nuvens

Mín. 23° Máx. 33°

24° Sensação
9.8 km/h Vento
74.3% Umidade do ar
0% (0mm) Chance de chuva
Amanhã (22/06)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 21° Máx. 34°

Sol com algumas nuvens
Quarta (23/06)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 22° Máx. 34°

Sol com algumas nuvens
Ele1 - Criar site de notícias