Verguia
Marmita Fit
Anuncie aqui
Viviane Oliveira
Eleito

Lacalle Pou é eleito novo presidente do Uruguai e grupo de Mujica deixa o poder após 15 anos

Representante da direita apostou em discurso de enxugamento de gastos e de fortalecimento das forças de segurança.

28/11/2019 17h40
Por: Redação Verguia
Fonte: AFP
Luis Lacalle Pou, candidato do Partido Nacional, acena a correligionários enquanto espera resultado do segundo turno das eleições presidenciais do Uruguai neste domingo (24) - Foto: Mariana Greif/Reuters
Luis Lacalle Pou, candidato do Partido Nacional, acena a correligionários enquanto espera resultado do segundo turno das eleições presidenciais do Uruguai neste domingo (24) - Foto: Mariana Greif/Reuters

O senador do Partido Nacional, de centro-direita, Luis Lacalle Pou será o próximo presidente do Uruguai, depois que números apresentados pela contagem secundária realizada pela Corte Eleitoral do país indicaram sua vitória no segundo turno realizado no domingo (24).

A posse será em 1º de março de 2020.

Perfil: quem é Luis Lacalle Pou

O vice-presidente da Corte Eleitoral, Wilfredo Penco, disse à agência Efe que o órgão "não faz cálculos" e que não proclamará o presidente "até que a última urna seja aberta". Porém, como a diferença entre Lacalle Pou e o candidato da Frente Ampla, de esquerda, Daniel Martínez, vinha aumentando, ficou claro que este já não conseguiria reverter à derrota.

Corte eleitoral confirma vitória de Lacalle Pou nas eleições presidenciais no Uruguai

Após uma divulgação de novos dados da contagem de votos, Martínez reconheceu que, pelo andar da apuração, não tem chances de alcançar o oposicionista, parabenizando-o como presidente eleito do país vizinho.

Havia 35.229 votos ainda não contabilizados. Para que Lacalle Pou vencesse as eleições, era preciso que obtivesse 3.170 deles.

Seis dos departamentos (estados) enviaram seus números e, só nesses locais, ele já recebeu quase 5 mil votos.

Com a vitória de Lacalle Pou, pela primeira vez em 15 anos, a coalizão Frente Ampla, formada pelo ex-presidente José "Pepe" Mujica e pelo atual presidente Tabaré Vázquez, fica fora do poder.

"Meu reconhecimento e obrigado a todos os homens e mulheres que estão defendendo os votos e a democracia em cada mesa nos dias de hoje. Meu pensamento está com vocês", escreveu o vencedor no Twitter pouco depois das 13h.

Disputa acirrada

O segundo turno das eleições aconteceu no domingo e a apuração já apontava provável vitória de Lacalle Pou. Porém, naquele dia, embora todas as urnas houvessem sido contabilizadas, ficaram de fora os chamados votos observados – aqueles de pessoas que votaram fora de suas zonas eleitorais, de idosos e de eleitores com necessidades especiais, e que dependem de checagem especial.

É uma etapa mais longa da apuração, porque uma série de dados dos votantes são conferidos. São votos principalmente do interior, de acordo com o jornal "El País".

 

Apoiadores de Lacalle Pou comemoram vitória em Montevidéu nesta quinta (28) - Foto: Mariana Greif/Reuters

Apoiadores de Lacalle Pou comemoram vitória em Montevidéu nesta quinta (28) - Foto: Mariana Greif/Reuters

 

Com 100% das urnas apuradas - os "votos observados" não entravam nessa contagem -, o resultado era o seguinte:

Luis Lacalle Pou (Partido Nacional) - 1.168.019 votos (50,6% dos votos válidos)

Daniel Martínez (Frente Ampla) - 1.139.353 votos (49,4% dos votos válidos)

A eleição foi acirrada e, por isso, a autoridade eleitoral evitou declarar um vencedor logo após a votação, anunciando a contagem secundária de votos.

Esta começou na terça, e os resultados que foram sendo divulgados indicavam que Martínez não recuperaria a diferença. Os partidários de Lacalle Pou inclusive já vinham criticando o candidato apoiado pelo atual presidente Tabaré Vázquez por não reconhecer a vitória da direita.

 

Candidato à presidência do Partido Nacional do Uruguai, Luis Lacalle, discursa para apoiadores no domingo (24) - Foto: Pablo Porciuncula / AFP

Candidato à presidência do Partido Nacional do Uruguai, Luis Lacalle, discursa para apoiadores no domingo (24) - Foto: Pablo Porciuncula / AFP

 

Advogado da elite uruguaia

Luis Lacalle Pou nasceu em Montevidéu em 11 de agosto de 1973 - mesmo ano do golpe militar que mergulhou o Uruguai em uma ditadura que durou 12 anos. Estudou em uma das melhores escolas da capital uruguaia e se formou advogado no fim da década de 1990.

Ainda estudante, Lacalle Pou tinha 16 anos quando viu o pai, Luis Alberto Lacalle, tornar-se presidente do Uruguai com o mesmo Partido Nacional para um mandato entre 1990 e 1995. Inclusive, aquela foi a última vez em que a agremiação elegeu um candidato para a Presidência.

O fim do mandato do pai, cercado de denúncias de corrupção, poderia ter colocado um fim nas pretensões políticas da família. Porém, o jovem advogado conseguiu se eleger deputado em 1999 e se descolar, aos poucos, da imagem de Luis Alberto Lacalle.

Doze anos mais tarde, Lacalle Pou ocupou a Presidência da Câmara dos Deputados e se tornou uma das vozes mais proeminentes da oposição ao governo de José "Pepe" Mujica, eleito senador neste ano.

Em 2014, Lacalle Pou se candidatou pela primeira vez à Presidência do Uruguai e conseguiu chegar ao segundo turno. Porém, perdeu para Tabaré Vázquez por uma diferença superior a 10% dos votos.

Como Lacalle Pou venceu?

Para vencer as eleições deste ano, Lacalle Pou apostou em um discurso de enxugamento de gastos - ele acusa os governos da Frente Ampla de perder o controle dos gastos públicos. Além disso, ele prometeu fortalecer as forças de segurança em um momento em que o Uruguai passa por aumento nos índices de criminalidade.

Lacalle Pou ficou atrás de Daniel Martínez no primeiro turno, mas costurou uma aliança com outros partidos e com os candidatos derrotados mais bem posicionados: o liberal Ernesto Talvi, do Partido Colorado, e o nacionalista Guido Manini Ríos, do Cabildo Abierto.

Assim, mesmo antes do primeiro turno, o presidente eleito já figurava à frente do candidato governista nas pesquisas de intenção de voto para a segunda volta das eleições.

Apoio de Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro deu declarações sobre as eleições no país vizinho enquanto elas ainda eram disputadas. Em uma entrevista do jornal "O Estado de S. Paulo" de 29 de outubro, ele afirmou: "Esperamos, torcemos que aconteça a eleição de alguém mais ligado ao nosso time, aí teríamos o Uruguai afinado conosco".

Ele disse que não teve problemas com o governo da Frente Ampla, mas acrescentou: "[Nós] temos de nos preparar sempre para o pior, porque você não pode dizer que foi surpreendido com os fatos. A política não acontece de uma hora para outra".

O próprio Lacalle Pou criticou as declarações de Bolsonaro: "Acho que não é bom que os políticos, e nesse caso governantes, opinem sobre o que pode acontecer em outro país", disse Lacalle Pou em declaração ao jornal uruguaio "El Observador"AX

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Rolim de Moura - RO
Atualizado às 12h05
27°
Muitas nuvens Máxima: 32° - Mínima: 25°
28°

Sensação

12.5 km/h

Vento

62.5%

Umidade

Fonte: Climatempo
Promoções em serviços
Leo Envelopamentos
Leo Pizzas
Waw cursos
Viviane Oliveira
Pipa
Municípios
Carlinhos frente
Carlinhos verso
Othon Producoes
Elson Moraes
Últimas notícias
Mais lidas