Verguia
Viviane Oliveira
Marmita Fit
Anuncie aqui
Caso Lula

TRF-4 eleva pena de Lula no caso do sítio para 17 anos

Desembargadores Gebran Neto, Leandro Paulsen e Thompson Flores garantiram condenação do ex-presidente em 2ª instância

27/11/2019 17h57Atualizado há 2 semanas
Por: Redação Verguia
Fonte: FolhaPress
Lula não será preso imediatamente após decisão. Sylvio Sirangelo/TRF4
Lula não será preso imediatamente após decisão. Sylvio Sirangelo/TRF4

Os desembargadores do TRF-4 decidiram nesta quarta-feira (27), por unanimidade, aumentar para 17 anos, 1 mês e 10 dias de reclusão a pena do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no caso do Sítio de Atibaia (SP).

A decisão equivale a uma nova condenação de segunda instância contra o petista.

Votaram contra a anulação da condenação em primeira instância e pelo aumento da pena os desembargadores João Pedro Gebran Neto (relator), Leandro Paulsen (revisor) e Carlos Eduardo Thompson Flores Lenz.

Como o STF (Supremo Tribunal Federal) determinou no início do mês que os réus só podem ser presos somente após o fim do processo ou com o esgotamento de todos os recursos, o julgamento do TRF-4 não levará Lula de volta à prisão neste primeiro momento.

Na ação, o ex-presidente é acusado de fazer parte de um esquema de pagamento de propina pelas construtoras Odebrecht e OAS em troca de vantagens em contratos na Petrobras.

De acordo com o Ministério Público, Lula teria se beneficiado pela reforma no sítio utilizado por ele e sua família em Atibaia no valor de R$ 870 mil.

Na primeira instância, Lula foi condenado pela juíza Gabriela Hardt a 12 anos e 11 meses de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

 

Lula teria se beneficiado pela reforma no sítio no valor de R$ 870 mil. Jorge Araújo/Folhapress

Lula teria se beneficiado pela reforma no sítio no valor de R$ 870 mil. Jorge Araújo/Folhapress

Um dos motivos para o aumento foi a aplicação de um artigo do Código Penal defendido pelo Ministério Público Federal, que a pena deve ser aumentada em um terço quando se trata de crime contra a administração pública praticado de forma a infringir o "dever funcional".

Em janeiro do ano passado, os mesmos desembargadores confirmaram a condenação de Lula no caso do tríplex do Guarujá. Na ação, o ex-presidente é acusado de receber propina da OAS como forma de reforma de um apartamento de no litoral de São Paulo.

No caso que levou o petista para a cadeia, o Tribunal estipulou uma pena de 12 anos e 1 mês de prisão a Lula, também aumentando a punição determinada pelo então juiz Sergio Moro, responsável pelos casos da Lava Jato em primeira instância na época.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Rolim de Moura - RO
Atualizado às 07h59
25°
Muitas nuvens Máxima: 33° - Mínima: 24°
25°

Sensação

15.6 km/h

Vento

80.5%

Umidade

Fonte: Climatempo
Promoções em serviços
Waw cursos
Pipa
Leo Pizzas
Leo Envelopamentos
Viviane Oliveira
Municípios
Othon Producoes
Elson Moraes
Carlinhos verso
Carlinhos frente
Últimas notícias
Mais lidas