Domingo, 23 de Junho de 2024
19°C 34°C
Rolim de Moura, RO
Publicidade

Casos de Hepatite A chegam a 204 em Curitiba; quase 50% precisou de internamento

A situação atípica deste ano configura surto da doença na capital paranaense

13/05/2024 às 20h40
Por: Mirian dos Santos Almeida Fonte: @ Redação com Assessoria
Compartilhe:
@ Reprodução Arquivo
@ Reprodução Arquivo

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de Curitiba informou, nesta segunda-feira (13), que a cidade já registrou 204 casos de Hepatite A entre 1º de janeiro e 10 de maio de 2024.

A situação atípica deste ano configura surto da doença na capital paranaense, diferente de anos anteriores, quando eram contabilizadas poucas contaminações pelo vírus A da Hepatite. A série histórica da Hepatite A em Curitiba, entre 2012 e 2023, contabiliza 134 casos no período, com uma média de 12 confirmações ao ano.

Segundo análise do Centro de Epidemiologia da SMS, a maioria dos casos acomete adultos jovens, principalmente homens entre 20 e 39 anos (157 confirmações – 77%). As mulheres correspondem a 23% dos casos (47 confirmações).

“A atenção à higiene é a principal orientação. Tanto na hora de se alimentar e depois de usar o banheiro, quanto nas relações sexuais, que devem ser protegidas com o uso de preservativos”, orienta o médico Alcides de Oliveira, diretor do Centro de Epidemiologia da SMS.

De acordo com Oliveira, o vírus da Hepatite A pode permanecer ativo nas fezes da pessoa que foi contaminada por até cinco meses, mesmo depois de não apresentar mais sintomas.

“Essa é uma característica do vírus que mostra seu potencial de transmissão e que determina atenção para evitar novos casos”, alerta o médico.

Casos graves

Geralmente benigna e mais comum entre crianças, que apresentam casos leves da doença e com rápida recuperação, a Hepatite A em adultos pode ser mais grave, comprometendo de forma aguda o fígado, o que pode levar a internamentos e até a morte.

Dos 204 casos confirmados, 46% necessitaram internamento (93 pessoas) e 4,5% (9 pessoas) precisaram de cuidados intensivos em UTI. Um homem de 46 anos precisou de transplante hepático em função da Hepatite A aguda.

Em 2024, três pessoas morreram em Curitiba em decorrência da doença: uma mulher de 29 anos e dois homens, de 40 e 60 anos.

Desde 2014, a vacina contra Hepatite A está disponível no SUS para crianças até 5 anos, além de grupos de pessoas com imunossupressão. Só é necessária uma dose da vacina contra a Hepatite A para garantir imunidade contra a doença. Quem teve hepatite na infância também está protegido contra o vírus.

“Com as crianças protegidas por meio da vacina, o vírus encontrou o público adulto jovem vulnerável, que é a faixa etária predominante no surto da doença este ano em Curitiba”, explica Alcides de Oliveira.

Sinais e sintomas

Os sintomas iniciais da Hepatite A são fadiga, mal-estar, febre e dores musculares, que podem ser facilmente confundidos com outras doenças, como a dengue, por exemplo. De acordo com o médico da SMS, nesse período inicial de sintomas é importante evitar a automedicação, que pode dificultar o diagnóstico diferencial, além de comprometer o fígado, que já está fragilizado pela doença.

O ideal é buscar atendimento em uma unidade de saúde ou através da Central Saúde Já – 3350-9000.

“Com o passar dos dias, a pessoa contaminada apresenta urina escura, olhos e pele amarelados (icterícia), sinais claros da doença”, explica Oliveira.

Os sintomas aparecem cerca de 15 a 50 dias após a infecção, associada à contaminação fecal-oral, ou seja, pelo contato de fezes com a boca. De acordo com o médico da SMS, é preciso atenção a cuidados básicos de higiene, como lavar as mãos antes de comer e depois de ir ao banheiro, higienizar os alimentos consumidos crus com água tratada, além de usar preservativos nas relações sexuais e higienizar genitália, períneo e região anal antes e após o sexo.

Prevenção

Conheça as principais orientações preventivas:

  • Lavar as mãos (incluindo após o uso do sanitário, trocar fraldas e antes do preparo de alimentos);
  • Lavar com água tratada, clorada ou fervida os alimentos que são consumidos crus, deixando-os de molho por 30 minutos;
  • Cozinhar bem os alimentos antes de consumi-los, principalmente mariscos, frutos do mar e peixes;
  • Lavar adequadamente pratos, copos, talheres e mamadeiras;
  • Usar instalações sanitárias;
  • No caso de creches, pré-escolas, lanchonetes, restaurantes e instituições fechadas, adotar medidas rigorosas de higiene, tais como a desinfecção de objetos, bancadas e chão utilizando hipoclorito de sódio a 2,5% ou água sanitária.
  • Não tomar banho ou brincar perto de valões, riachos, chafarizes, enchentes ou próximo de onde haja esgoto;
  • Evitar a construção de fossas próximas a poços e nascentes de rios;
  • Usar preservativos e higienização das mãos, genitália, períneo e região anal antes e após as relações sexuais.

Vacina

A vacina contra Hepatite A faz parte do calendário infantil de imunização pelo SUS, aplicada a partir dos 12 meses até 5 anos incompletos.

Além disso, a vacina está disponível nos Centros de Referência para Imunobiológicos Especiais (CRIE), no esquema de 2 doses, com intervalo mínimo de 6 meses, para pessoas acima de um ano de idade com as seguintes condições:

  • Hepatopatias crônicas de qualquer etiologia, inclusive infecção crônica pelo HBV e/ou pelo HCV;
  • Pessoas com coagulopatias, hemoglobinopatias, trissomias, doenças de depósito ou fibrose cística (mucoviscidose);
  • Pessoas vivendo com HIV;
  • Pessoas submetidas à terapia imunossupressora ou que vivem com doença imunodepressora;
  • Candidatos a transplante de órgão sólido, cadastrados em programas de transplantes, ou transplantados de órgão sólido ou de células-tronco hematopoiéticas (medula óssea);
  • Doadores de órgão sólido ou de células-tronco hematopoiéticas (medula óssea), cadastrados em programas de transplantes.
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Acs Mirian Santos
Sobre o blog/coluna
Mirian dos Santos Almeida, 39 anos. É mãe, esposa, formada em Tecnologia em Gestão Ambiental pela Unopar – Universidade do Norte do Paraná, Evangélica, ACS - Agente Comunitária de Saúde - no Município de Rolim de Moura- RO por mais de 10 anos. Mirian usará esse espaço para falar sobre saúde, informar sobre atividades do SUS e informações sobre o cotidiano dos Agentes de Saúde no modo em geral.
Seu canal de informações
Comente, compartilhe
Ver notícias
Rolim de Moura, RO
28°
Tempo limpo

Mín. 19° Máx. 34°

28° Sensação
2.05km/h Vento
46% Umidade
0% (0mm) Chance de chuva
07h24 Nascer do sol
06h51 Pôr do sol
Seg 35° 20°
Ter 36° 20°
Qua 37° 21°
Qui 37° 21°
Sex 35° 23°
Atualizado às 18h05
Publicidade
Publicidade
Economia
Dólar
R$ 5,43 +0,00%
Euro
R$ 5,81 0,00%
Peso Argentino
R$ 0,01 +0,13%
Bitcoin
R$ 363,160,21 -1,25%
Ibovespa
121,341,13 pts 0.74%
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Lenium - Criar site de notícias